Respiração Abdominal

Muitos estudos, concluem que a respiração bdominal ou diafragmática é um procedimento saudável e se constitui num recurso que produz efeito equivalente ao uso de um calmante ou ansiolítico; porém sem os efeitos colaterais dos mesmos. O estado de relaxamento produzido pela prática da respiração abdominal promove a redução da ansiedade, redução das tensões e do estresse. Ela pode ser praticada em qualquer lugar, tanto na posição deitada, quanto de pé ou sentada.

A RA é eficaz na prevenção dos ataques de pânico, evitando a manifestação de todos os sintomas inerentes e, mesmo depois de desencadeado o processo, a RA praticada numa freqüência mais rápida, debela rapidamente todos os sintomas.

Os efeitos desencadeadas pela RA são:

  • aumento da taxa de oxigênio no sangue;
  • redução dos níveis de CO2;
  • estimulação do vago, maior nervo do sistema parassimpático responsável por promover o relaxamento corporal.

Sua prática é simples mas é imprescindível que seja feita, conforme as orientações a seguir:

  1. inspirar, pelo nariz, enchendo completamente os pulmões;
  2. expirar pela boca esvaziando totalmente os pulmões e, soprando; dessa forma, o tempo da expiração se torna maior e isso contribui para o relaxamento e o descanso do diafragma.
  3. repetir os passos 1 e 2, oito vezes, fazendo um intervalo respirando normalmente por alguns segundos, reiniciando novo ciclo de 8 respirações.

Na inspiração, enchem-se bem os pulmões e dilata-se normalmente o tórax. Simultaneamente, deve-se dilatar o abdômen ao máximo, porém sem forçar.

Ao expirar, deve-se fazê-lo pela boca, soprando.

Aplicações: A RA apenas com a finalidade de relaxar, deve ser praticada numa freqüência baixa, combinando profundidade com conforto, ou seja: combinando uma respiração tão profunda quanto confortável. Dessa forma a RA pode ser mantida pelo tempo que for necessário para promover o relaxamento. Essa freqüência também é adequada quando a pessoa sofre uma insônia no meio da noite ou quando está com dificuldades para dormir, facilitando o sono fisiologicamente sadio.

Para uma situação de tensão, essa freqüência deve ser acelerada um pouco mais, para produzir os efeitos desejados.

Numa crise de ansiedade em que a respiração da pessoa está acelerada e encurtada, deve-se fazer a RA numa freqüência rápida, mantendo-se os intervalos de respiração normal a cada ciclo de oito respirações. Repetir os ciclos até que a calma e o relaxamento se manifestem.

É muito comum acontecerem bocejos durante e após a prática da RA.Usar a respiração abdominal por períodos prolongados, provoca sonolência.

Na insônia, a RA pode ser utilizada e em geral, induz o sono fisiologicamente sadio e natural, possibilitando um sono continuado durante toda a noite, proporcionando o descanso do corpo e da mente. Dormindo de forma profunda e continuada, a pessoa atinge o sono REM, (sigla inglesa que quer dizer movimentos rápidos de olhos). Nessa fase também chamada de sono paradoxal, há uma intensa atividade da mente e uma acentuada e rápida movimentação dos olhos. Nesta fase a mente trabalha todos os registros e arquivos captados pelos sentidos durante o dia e os reorganiza, memorizando aqueles que são importantes, deletando tudo o mais.

Quando a pessoa tem uma noite de sono mal dormida, acordando com freqüência, não atinge o sono REM que ocorre na 4ª. fase do sono, num estágio mais profundo.

Joel Antunes dos Santos – psicólogo, psicoterapeuta
Pós-graduado em Psicologia Médica pela UFMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *