Recursos X Limitações

Tudo o que incomoda e ou que se evidencia como desconfortável é chamado limitação. Por exemplo: timidez, agressividade, dispersão, tristeza, desatenção, raiva, medo, dor de cabeça, dores, ou qualquer outro comportamento e sensações que imponham insatisfação e sofrimento, são vistos como coisas indesejáveis.

Para Milton Erickscon, o que irá determinar se o comportamento, mesmo o indesejável é limitação ou recurso, será o contexto. O comportamento que num determinado contexto é inadequado ou limitação, pode ser recurso e se mostrar adequado em outro. Da mesma forma que um comportamento num determinado contexto, poderá ser limitação em outro ele será um ótimo recurso.

Tomemos como exemplo alguém que se queixe de ser agressivo com as pessoas e manifesta desejo de perder essa agressividade. Se essa agressividade está sendo usada nas relações com amigos e pessoas da convivência diária, ela traz como conseqüência, dificuldades e nesse contexto ela se torna limitação. Porém, se essa agressividade está latente e é canalizada para ser utilizada em situações pertinentes à dinâmica do trabalho da pessoa, no sentido de motivá-la a aceitar desafios e implementar esforços para atingir metas visando seu crescimento, ela estará sendo útil. Se constitui portanto num recurso inestimável que pode levar a pessoa ao sucesso naquele contexto.

Outro exemplo: quando alguém sente uma dor de cabeça, sente esse desconforto como uma limitação, porém, a dor é um recurso do qual não podemos abrir mão. Ela funciona como um alerta, um alarma para dizer-nos que algo não vai bem e que precisamos nos cuidar. A capacidade de sentir dor é um recurso.

Concluindo: o que determina se um comportamento é limitação ou recurso, é o contexto. Portanto, todo “defeito” pode ser recurso; como também qualquer recurso pode se tornar limitação se utilizado no contexto inadequado.

Encontre os contextos nos quais o seu “defeito” se constitua recurso e verá que não deve abrir mão desse tão precioso “defeito”. Se quer melhorar a sua performance e obter mais sucesso, procure pelos recursos que você com certeza tem e que se adeqüam àquele contexto para o qual você está voltado e obtenha o “feedback” desejado.

Joel Antunes dos Santos – psicólogo, psicoterapeuta
Pós-graduado em Psicologia Médica pela UFMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *